Categories
Crypto Investing

A Atlas, a nova plataforma e o “saldo migrado”

A Atlas publicou o seguinte em sua página no Facebook:

Vem aí o NOVO QUANTUM. Com a chegada da nova plataforma, nossos clientes irão usufruir de uma nova interface para…

Posted by Atlas Quantum on Thursday, January 16, 2020

Segundo a publicação, o “Saldo Migrado”, que chamaremos de bitatlas (BTA – os bitcoins depositados na Atlas até o início da crise, que hoje não podem ser sacados), poderá ser negociado entre os clientes, que por ele pagarão bitcoins (BTC – os bitcoins depositados após a crise, que a Atlas promete que poderão, sim, ser sacados) na proporção em que desejarem. As ordens comporão um book na nova plataforma e as forças de mercado determinarão o preço do bitatlas em bitcoins.

A publicação não menciona, entretanto, qualquer outra utilidade do bitatlas para seu portador que não seja a possibilidade de venda para um potencial comprador interessado. O problema é que, na ausência de uma utilidade além da possibilidade de negociação, o bitatlas não teria valor algum e, portanto, não haveriam compradores racionais.

Nesse caso, o surgimento de eventuais compradores (certamente anônimos no book) seria altamente suspeito, pois, dada a ausência de valor do bitatlas, somente a própria empresa, a Atlas, teria interesse em comprá-lo com deságio – diretamente ou por meio de terceiros – pois seria efetivamente uma forma de pagar menos pelo que deve “com a concordância do cliente” (apesar de acreditar este estar vendendo para outro cliente) e diminuir a própria dívida com deságio.

Tal hipótese seria, obviamente, altamente discutível do ponto de vista ético e faria surgir um enorme conflito de interesses, pois, além do fato de que não haveriam compradores legitimamente interessados além da própria empresa, o interesse econômico natural e inevitável da Atlas, que estaria, na hipótese, recomprando a própria dívida com deságio, seria o de aumentar o deságio, e não o contrário.

Não acredito, entretanto, que venha a ser assim.

Em 12 de dezembro do ano passado, em reunião com um grupo de investidores, chamado de “a comissão” por participantes dos grupos da Atlas no Telegram, o Rodrigo teria afirmado que, como parte do plano de recuperação da empresa, uma parcela do lucro obtido com o Fênix (seu novo produto, um algoritmo de trading alavancado na Bitmex) seria destinada à quitação da dívida (os bitatlas).

Tal afirmação estaria em linha com a iniciativa de recompra da empresa, anunciada em 1º de novembro de 2019, no blog da Atlas.

A recompra, entretanto, nos moldes do anúncio, não durou muito tempo. Além do fato de que apenas os maiores investidores participavam, pois as inserções e remoções de ordens do book (que era invisível) eram solicitadas por meio de envio de e-mail a consultores, os valores em reais (BRL) obtidos com a recompra não puderam ser sacados por todos. Muitos reportaram que os saques (pequenos valores de BRL) simplesmente não estavam sendo honrados. A Atlas alegou a existência de inconsistências e bugs na plataforma como justificativa para o problema e a última recompra ocorreu no dia 21 de novembro.

A retomada da recompra de bitatlas de forma ordenada, com parcela do lucro do Fênix ou de qualquer outra fonte de renda da Atlas, juntamente com o efetivo pagamento dos saques solicitados, por sua vez, seriam indiscutivelmente aptos a conferir valor ao bitatlas (em razão da expectativa do portador de por cada bitatlas receber um bitcoin, ainda que em momento futuro e incerto) e, aí sim, despertar o interesse legítimo de compradores racionais e fazer com que a diminuição do deságio seja plena e naturalmente possível dentro das leis naturais da economia e do mercado.

É assim que acredito (ou melhor, espero) que venha a ser.

A Atlas deve, entretanto, o mais rapidamente possível, esclarecer tal fato e reiterar seu compromisso com a recompra, pois a ausência de menção à iniciativa na publicação pode induzir a erro.

Ao fazer tal esclarecimento, restará evidente aos clientes que o anúncio da nova plataforma trata-se somente do cumprimento de promessas anteriores de remoção dos bugs e de efetiva integração do mercado informal de bitatlas à plataforma juntamente com um book visível, transparente e aberto a todos (e não somente aos maiores investidores).